Sequência

1. Prefeitura do Rio vai tirar todos os “fradinhos” da orla, acabei de ouvir no rádio agora (ok, eu ouço rádio).

2. Carros passarão a estacionar nos locais onde estavam os fradinhos.

3. Calçamentos, já prejudicados, ficarão mais prejudicados.

4. Prefeitura vai passar a multar e rebocar os carros estacionados irregularmente, aumentando a arrecadação.

5. Prefeitura vai se gabar de realizar grandes “choques de ordem” na orla da zona preferida, a zona sul.

6. População se acostumará cada vez mais à expressão “choque de ordem”.

7. População passará lembrar da expressão “choque de ordem” nas eleições.

8. Ruas da cidade — tanto as da zona sul quanto a dos bairros do subúrbio — continuarão com os mesmos problemas de sempre, já que a prioridade é a arrecadação dos momentos de choque de ordem.

A cidade é igual a um organismo vivo (ok, não sei se existe organismo morto ou se pode ser denominado organismo). Se o rim está com problemas, é preciso tratar logo o rim, tirar o cálculo. Se o paciente sente dor, precisa reclamar de dor e correr atrás de corrigi-la. Mas a criatura deve se prevenir, cuidando de sua saúde para evitar futuros problemas, desde os pequenos aos de maior proporção. Se o rim ou o apêndice dói e a pessoa não cuida, isso pode se transformar em problemas maiores, mais difíceis e de maior custo para tratar. E por aí vai.

Nada a ver, juro, com esta manchete:

Paes passa por cirurgia para extração de cálculo renal no Rio

Todo prefeito deveria ter uma nutricionista. De preferência, que não seja paga pelo erário público (ok, não sei se existe erário não-público).

Saúde no Brasil é um caso de Twitter

De acordo com o site do jornal Extra, a prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, que apelou para o Twitter para conseguir médicos para a cidade, disse que a prefeitura recebeu 435 inscrições de todo Brasil:

Médicos de Goiás, dos estados do Sul, da Bahia, que se interessaram em trabalhar 20 horas semanais na rede de saúde de Ribeirão Preto e ganhar um salário de R$ 4.555,16. Do total de inscritos, 351 pagaram o concurso e deverão fazer a prova em agosto.

– Conseguimos 88 pediatras – comemora.

Leia mais clicando aqui.

Dos planejamentos

Manchetes do dia:

Após devolução dos brinquedos do Leblon, Paes promete mais setes Baixos Bebês na praia

Prédios ameaçam desabar na Rua dos Inválidos no Centro

Réveillon de 2009 para 2010 em Copacabana terá fogos temáticos, 24 atrações e som sincronizado

Chuvas expõem problemas de escoamento e outras mazelas cariocas

Deveriam transferir a sede da Prefeitura para o prédio da Help. Assim ficariam mais próximos da real zona de interesse da governança.

Enquanto isso, na vereança:

Câmara dos Vereadores do Rio aprova cobrança de taxa de iluminação pública

Dos estudos e promessas

Do jornal Extra:

O prefeito Eduardo Paes assinou, na manhã desta sexta-feira, com a empresa de cartões Visa Vale, um convênio, de cerca de R$ 4 milhões, para financiar os estudos para implantação do bilhete único nos transportes do Rio. O estudo, que mapeará o número de linhas de ônibus, de passageiros transportados e de viagens feitas (bem como a origem e o destino dessas viagens), ficará pronto em janeiro.

Segundo o prefeito, somente com essas informações em mãos a prefeitura poderá começar a implantar o bilhete único, uma das promessas de Paes durante a campanha à prefeitura.

Li aqui.

Você leu direito. 4 milhões são só para o estudo.

Deve ser péssimo viver numa cidade onde gastam 4 milhões de reais só para isso, para saber se e como é viável fazer implantar coisa. Ainda mais que isso já era uma promessa de campanha… Mas lembrem-se, o Peregrino é ingênuo pacas.

Da lama à lama

Acho que vou criar um blog chamado “A pergunta que não quer calar”…

Reformaram o Parque Garota de Ipanema para, entre outras coisas, acabar com a lama que dificultava a frequência de moradores e turistas ao local.

A pergunta que não quer calar: por que então, depois de inaugurada a obra e em pleno sábado de sol, continua havendo lama no local ?

Mais: por que não pensaram numa alternativa de piso mais conveniente para o local ? Por que ainda não colocaram as gangorras para as crianças ? E por que não aproveitaram e reformaram todo o complexo do parque — leia-se as partes de subidas, o rink de patins, etc ?