O crime compensa

Vamos apenas até a parte que interessa (do JB Online):

O ministro do Superior Tribunal de Justiça Paulo Medina, 68 anos, foi aposentado compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça, por unanimidade, em sessão plenária que consumiu a manhã e parte da tarde desta terça-feira, ao fim de processo administrativo disciplinar, por “agir de forma a favorecer grupo criminoso”, e descumprir o dispositivo da Lei Orgânica da Magistratura que exige dos juízes “conduta irrepreensível na vida pública e privada”. A mesma punição foi aplicada ao desembargador José Eduardo Carreira Alvim, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (Rio de Janeiro), que já se aposentara por conta própria, há três anos.

Os dois magistrados – que continuarão a receber proventos proporcionais ao tempo de serviço (entre R$ 25 mil e R$ 26 mil) (…)

O resto você lê aqui se quiser.