Golpe milionário

No Globo Online:

O pianista americano Roger Davidson, produtor premiado com o Grammy e herdeiro da fortuna da multinacional de serviços de petróleo Schlumberger, foi vítima de um golpe sui generis em segurança da informação que pode ter lhe custado US$ 20 milhões.

Davidson levou seu laptop a uma loja de consertos em Nova York chamada Datalink Computer Products, do técnico Vickram Bedi e sua namorada islandesa Helga Invarsdottir. Ele suspeitava que um vírus infectara o computador e temia perder algumas de suas composições.

Percebendo que o compositor era rico, Bedi e Helga o convenceram de que o computador estava com um malware sofisticado, ligado a uma espécie de máfia em Honduras, que, por sua vez, teria conexões com a organização religiosa Opus Dei. Ambos os grupos, asseverou Bedi, visavam ameaçar a família de Davidson e, de quebra, o governo americano. Soa mirabolante? Pois está na Wired e no New York Times.

Davidson caiu na conversa dos dois e concordou em pagar não só pelo conserto como por “proteção” contra a máfia hondurenha e a Opus Dei. Assim, Helga e Bedi extorquiram inicialmente US$ 6 milhões do compositor até que a polícia, investigando outra denúncia contra Bedi, descobriu a trama. O casal foi preso enquanto se preparava para fugir dos EUA. A fraude se arrastou por seis anos, desde 2004, e segundo a polícia pode ter custado a Davidson os US$ 20 milhões, feitas todas as contas.

A nota foi encontrada aqui.