Os animais de Mark Zuckerberg

De acordo com a AFP, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou nesta quinta-feira à revista Fortune que se tornou praticamente vegetariano ao decidir comer apenas a carne de animais… que ele mesmo sacrifica:

“Este ano me tornei praticamente um vegetariano porque a única carne que como procede de animais que eu mesmo mato. Até o momento, tem sido uma boa experiência, como alimentos mais saudáveis e aprendi muito sobre agricultura sustentável e criação de animais”, escreveu Zuckerberg à Fortune.

Leia mais aqui.

Só não disse quais animais ele mata com as próprias nerd-mãos…

O caso Arezzo

A tap #arezzo amanheceu nos Trending Topics do Twitter esta manhã. Uma pesquisa rápida fez descobrir que “tiraram o couro” (ops) da empresa na internet por causa desta questão:

http://www.mundodomarketing.com.br/errosdemarketing

À tarde, a empresa mandou comunicado oficial:

A Arezzo entende e respeita as opiniões e manifestações contrárias ao uso de peles exóticas na confecção de produtos de vestuário e acessórios.

Por isso, vimos por meio deste nos posicionar sobre o episódio envolvendo nossas peças com peles exóticas – devidamente regulamentadas e certificadas, cumprindo todas as formalidades legais que envolvem a questão.

Não entendemos como nossa responsabilidade o debate de uma causa tão ampla e controversa.

Um dos nossos principais compromissos é oferecer as tendências de moda de forma ágil e acessível aos nossos consumidores, amparados pelos preceitos de transparência e respeito aos nossos clientes e valores.

E por respeito aos consumidores contrários ao uso desses materiais, estamos recolhendo em todas as nossas lojas do Brasil as peças com pele exótica em sua composição, mantendo somente as peças com peles sintéticas.

Reafirmamos nosso compromisso com a satisfação de nossos clientes e com a transparência das atitudes da Arezzo.

Atenciosamente,
Equipe Arezzo

……

Leia também:

http://whocouldblameher.blogspot.com/2010/10/querida-arezzo.html:

(…) Mas tem uma diferença entre os meus sapatos lindos e o seu scarpin. Sabe qual? Eles não se desmancharam. Pois é, Arezzo. Você sai por aí vendendo sapatos que são supostamente de couro (afinal, por esse preço!) e, depois de serem usados cinco vezes, eles desmancham, revelando um tecido vagabundo pintado de tinta texturizada para imitar couro. O sapateiro riu de mim. Riu.

Eu achei que você fosse me explicar isso, que fosse passar a mão na minha cabeça, dizer que pedia desculpas e que isso não aconteceria mais, que foi um erro, mas o que você fez? Me esnobou. “Não nos responsabilizamos por sapatos comprados há mais de três meses.” Como assim, Arezzo? Eu tenho sapatos Topshop, Sommer, tenho até Melissas guardadas há mais tempo do que guardei esse scarpin, e sapatos usados muito mais vezes que esse scarpin e que não se desmancharam!

É por isso, Arezzo, que eu quero que você vá se danar. (…)

[Fabiane Ariello, jornalista, tradutora, revisora e escritora / Foz do Iguaçu, PR, Brazil = http://whocouldblameher.blogspot.com/2010/10/querida-arezzo.html%5D

Verso das novas notas de Real

Complementando o post sobre as novas notas de Real publicado em 03.02.2010 (veja aqui), dois dos versos das notas mais valiosas, aquelas que a gente nunca tem nas mãos…

Relembrando todas as frentes (e lembrando que terão tamanhos diferentes umas das outras):