BRS na Barata Ribeiro

Como era de se esperar, a implantação do Bus Rapid Service (por que em inglês, mèodèos, por quê ?) na Barata Ribeiro e Raul Pompeia causou ainda mais problemas para os pobres coitados que têm que andar dentro dos ônibus. Aceitar resignadamente subir nos ônibus em pontos distantes na Nossa Senhora foi até mais fácil do que, mortos de cansaço vindo do trabalho, aceitar que só pode saltar em pontos determinados (e poucos — no desenho abaixo parece tudo lindo e fácil, mas as distâncias são grandes, em especial para idosos).

Assisti a muita reclamação já no fim de semana, e ninguém duvide que durante a semana, durante o rush, vai ser pior. Os motoristas agradecem, mas… quem pensa mesmo nos usuários dos coletivos ?

Das características

Deixa eu entender…

– vício em internet é característica de psicopata ? [capa da Veja]
– vermelho é a cor da morte ? [Veja e Isto É]
– como disse ontem a Dra Ana Beatriz no Faustão, nenhuma das revistas teve a boa e simples ideia de colocar o policial na capa, e não a cara do assassino. O psicopata vai virar celebridade instantânea e o policial que fez com que ele não matasse mais gente nem tchuns: melhor celebrar a morte que a vida ?

Outra coisa que eu não entendo é a frase “O Fantástico conseguiu, com exclusividade, manuscritos do assassino”. Conseguiu com quem ? Com a polícia ? Quem forneceu ? Por que exclusividade ? Só o Fantástico teve acesso ? Por que só o Fantástico teve acesso ? Quem deu acesso ?