Caos Rio

Muita chuva. Ruas alagadas, escolas públicas fechadas, Tribunal de Contas fechado. aeroporto Santos Dumont fechado, até a ponte Rio-Niterói foi fechada mais cedo.

Não cheguei ao trabalho. Mesmo alertado pela TV de que não deveriamos sair de casa (palavras do prefeito), arrisquei pegar o ônibus da empresa, como outros loucos… no meio do caminho, fomos autorizados a voltar para casa. Em Botafogo ninguém passava, Voluntários e São Clemente eram rios.

Sim, choveu mais que o normal. Como nas outras enchentes recentes (desta vez, ainda mais, 270mm na Rocinha, quando a média MENSAL chega a 140mm nesta época do ano). Rocinha, Copacabana, Urca e Jardim Botânico foram locais onde choveu muito mais que a média.

Em Copacabana, muito lixo boiando nas ruas, já que a Comlurb não conseguiu recolher durante a noite. Mau cheiro geral. A Lagoa Rodrigo de Freitas transbordou, bem como, ontem, o Rio Maracanã. Na Tijuca, ontem, um corredor parado de ônibus. Apesar de tantas críticas e problemas, o metrô é essencial e foi o que salvou a volta para casa de muita gente ontem. Ainda assim, muita gente ficou ilhado em diversos pontos da cidade, não conseguindo retornar pra casa.

Sim, choveu mais que o normal. E mais uma vez, São Pedro será o grande culpado. Não há na cidade do Rio qualquer medida de prevenção — a chuva vai cair sempre, como já caiu tantas vezes tão forte. Mas não há qualquer obra, melhoria, um tal “choque de ordem”, como eles gostam tanto, para que as consequências da chuva sejam menores.

Afinal, esgoto não aparece para ajudar a eleger ninguém.