Fechamento da Help

Frequentadores e funcionários lamentam fechamento da boate Help:

(…) de 44 anos, também elogia a danceteria. Ela, que chegou ao local em 1990, agradece à Help por “tudo de bom que conseguiu na vida”. “Foi aqui que conheci um namorado inglês. Ele me levou para Londres, em 1994. Até casar comigo ele quis. Colocou minha vida para cima”, diz a prostituta, mãe de dois filhos, um deles nascido em Portugal, fruto do relacionamento com o namorado britânico.

Digamos que, no novo museu, também vai dar (ops) para encontrar novas pessoas, amigos, amores…

E cultura também.

Só esperamos que a obra não seja superfaturada.

Leia também:
Novo MIS em Copacabana, no lugar da Help