Morre Amanda Todd, canadense vítima de cyberbulling

Amanda Todd

Amanda Todd

Muita gente não acredita em cyberbulling. Este é um caso incrível para alguns e absurdo para todos, chocante e triste. Mas real. Sua história, de acordo com o que conta o site Sábado, de Portugal:

Há cerca de um mês, Amanda Todd publicou a sua história no ‘YouTube’. Sem dizer uma palavra, a canadense escreveu em várias folhas de papel os momentos mais difíceis porque passou. Tudo começou no sétimo ano, quando por brincadeira a adolescente começou a frequentar com os amigos salas de chat online. Um dia, conheceu um homem que lhe pediu para mostrar os seios. Amanda aceitou.

Um ano depois, a jovem recebeu uma mensagem no ‘Facebook’. Era do mesmo estranho, que ameaçou divulgar a foto da adolescente semi-nua se esta não se voltasse a despir. A jovem recusou. Segundo conta no vídeo, ele sabia tudo sobre ela: a sua morada, a escola que frequentava, quem eram os seus amigos e familiares.

A imagem foi divulgada. Amanda entrou em depressão, desenvolveu ataques de ansiedade e de pânico e começou a beber e a consumir drogas. Tentou suicidar-se, mudou várias vezes de escola, e até de cidade. Porém, era constantemente alvo de bullying e cyberbullying. O homem que a perseguia chegou até a abrir uma conta falsa com o seu nome no ‘Facebook’, onde colocou como imagem de perfil a foto de Amanda seminua.

Três anos depois, a jovem lançou um vídeo no ‘YouTube’ onde contava a sua história. Esta quarta-feira, foi encontrada morta em Coquitlam, no Canadá. A sua história comoveu o mundo, e pela Internet multiplicam-se as mensagens de condolências.

Em entrevista ao ‘The Vancouver Sun’, o director da escola que Amanda Todd frequentava em Coquitlam disse que “É um caso muito triste. Nós sentimos que tentámos fazer tudo para a ajudar desde que ela chegou até nós.”

“Ela estava bem acompanhada aqui. Os funcionários e os alunos estão muito impressionados. Ela tinha alguns laços muito fortes com a escola e com os funcionários da escola.”

Leia mais e veja o vídeo clicando aqui.

Amanda Todd

Amanda Todd

Update 19.10.2012 – Mais informações sobre o caso. Do site SOL, de Portugal:

O grupo hacker Anonymous identificou várias pessoas suspeitas de serem responsáveis pelos abusos que conduziram uma adolescente canadiana de 15 anos ao suicídio.

(…) As autoridades canadianas investigam também o caso, tendo constituído uma unidade especial de 20 agentes, e apelam ao fim das iniciativas dos justiceiros e a uma torrente de rumores que está a prejudicar a busca pela verdade. «O sistema não funciona assim. Não se condenam pessoas antes de terem sido sequer acusadas. Não podemos ser juízes, júris e carrascos à frente de todos», declarou o advogado Eric Gottardi, citado pela imprensa canadiana.

Uma organização anti-pedofilia do Canadá diz ter recebido uma denúncia relativa a abusos contra Amanda há pelo menos um ano, tendo reportado o caso à polícia e à protecção de menores. Terão as autoridades e a própria família da vítima feito tudo para a proteger? Muitas perguntas continuam ainda por responder. A mãe de Amanda admite que a filha sempre precisou de atenção especial, mas afirma que os problemas psicológicos e de dependência só apareceram após os abusos online. A filha deixou um vídeo póstumo para mãe, que esta ainda não teve coragem de ver.

Leia mais clicando aqui.

O portal Terra também fala sobre a descoberta:

De acordo com o Huffington Post, o grupo ativista postou no Pastebin que o autor das ofensas seria um homem de 30 anos, que vive em New Westminster, na província canadense de British Columbia.

O sujeito que o Anonymous aponta como praticante do bullying se apresentou a um tribunal na segunda-feira sob acusação de agressão sexual e de interferência sexual com menor de idade, mas sem relação com o caso Todd, segundo a emissora canadense CTV. O homem alega que era amigo de Todd e indicou um morador de Nova York como o responsável por importunar a menina.

“Nós geralmente não gostamos de lidar com a polícia em primeira mão, mas fomos obrigados a colocar nossas habilidades em uso para proteger as crianças”, diz um comunicado enviado por e-mail pelo Anonymous ao CTV. “Ironicamente, temos algumas boas pessoas em Vancouver, que chamaram a atenção de nosso admin para o caso. É uma história muito triste que afeta a todos nós”, constava na mensagem.

Leia mais clicando aqui.

No Wikipedia foi criado um link para o caso:

http://en.wikipedia.org/wiki/Suicide_of_Amanda_Todd

Já o Terra destaca o memorial:
- Amanda Todd: memorial na web já tem mais de 750 mil “curtidas”